RMMG - Revista Médica de Minas Gerais

Volume: 18. 1

Voltar ao Sumário

História da Medicina

Esboço histórico da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais

Historic outline of the Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais

José de Laurentys Medeiros

Professor de Semiologia da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais

Endereço para correspondência

Rua: Ceará, 161 - sala: 306 B: Santa Efigênia
Belo Horizonte - MG CEP 30150-310

Resumo

A Faculdade de Ciências Médicas (FCMMG) de Minas Gerais nasceu do idealismo de Lucas Monteiro Machado ( LMM), conceituado ginecologista e professor interessado em fundar uma faculdade de medicina que seria a segunda de Minas Gerais. Reuniu, entao, dez médicos, chefes de serviço da Santa Casa de Belo Horizonte, (SCBH), denominados pioneiros,( 1951 ). O plano foi levado ao Arcebisbo de Belo Horizonte, Dom Antônio dos Santos Cabral que dirigia a Sociedade Mineira de Cultura, sendo fundada a FCMMG, incorporada à Sociedade Mineira de Cultura, embriao da Universidade Católica de Minas Gerais (UCMG). A primeira congregaçao foi indicada pelos pioneiros e Dom Antônio, passando a ser considerados fundadores, incluindo-se Dom Antônio e José Maria Alkimim, Provedor da SCBH, Hospital Escola da FCMMG. Dos fundadores encontram-se vivos os professores Caio Benjamim Dias e Nilton Gomes. A primeira sede da FCMMG foi o Hospital Elvira Gomes Nogueira, antigo Hospital de Criança, localizado na Av. Francisco Sales. Em 1964, transferiu-se para a sede atual na Alameda Ezequiel Dias, em terreno que foi doado pelo entao Governador do Estado Juscelino K. de Oliveira, professor nomeado para a primeira congregaçao, nao chegando a assumir o cargo. Em 1969 desligou-se da UCMG, tornando-se Escola isolada. Hoje mantém os cursos de medicina, fisioterapia, terapia ocupacional e pós-graduaçao (Residência e Curso de Especializaçao), estando em vias de implantaçao novos cursos. Durante sua existência a faculdade formou 3.720 médicos, 1.294 fisioterapeutas e 351 terapeutas ocupacionais. A mantenedora é a Fundaçao Educacional Lucas Machado ( FELUMA ) e o Diretor atual é Prof. Ludércio Rocha de Oliveira.

Palavras-chave: História da Medicina; Escolas Médicas/história; Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais.

 

Um anseio de muitos tornado realidade: a criaçao de mais uma casa de ensino médico em Belo Horizonte (Afonso Silviano Brandao - 1950).

A FCMMG nasceu do idealismo de Lucas Monteiro Machado, conceituado profissional (ginecologista obstetra). Figura 1.

 


Figura 1 - Prof. Lucas Monterio Machado

 

Lucas reuniu um grupo de chefes de serviços da Santa Casa para realizar um grande sonho: fundar uma Faculdade de Medicina. Foram 10 os seus companheiros que se reuniram inicialmente na residência do idealizador e nas enfermarias da Santa Casa. Esse grupo era constituído pelos pioneiros: Afonso Silviano Brandao, Antônio Mello Alvarenga, Argeu Murta, Caio Benjamim Dias, Brasílio Rui Prates, Geraldo Queiroga, Moacyr Abreu Junqueira, José Bolívar Drumond, Paulo Souza Lima e Sálvio Nunes.

Elaborado o projeto inicial, dirigiram-se ao arcebispo metropolitano Dom Antônio dos Santos Cabral, que presidia a Sociedade Mineira de Cultura, entidade constituída pelas Escolas de Enfermagem Hugo Werneck, Faculdade Mineira de Direito e Escola de Serviço Social. Dom Antônio recebeu a iniciativa, apoiando a fundaçao da Faculdade de Ciências Médicas, que passou a integrar a estrutura da Sociedade Mineira de Cultura, embriao da Universidade Católica de Minas Gerais. Lucas Machado foi eleito diretor da Faculdade, permanecendo no cargo até seu falecimento, em 11 de agosto de 1970, ressaltando que jamais auferiu remuneraçao pelo cargo de direçao e de professor. Na aula inaugural da escola, expressam o pensamento que simboliza toda a história e um ideal: "quantas vezes nos reunimos armados de belos sonhos e coloridas ilusoes"

Foram escolhidos nomes conceituados da Medicina mineira que, por indicaçao dos pioneiros e Dom Antônio, formaram o primeiro corpo docente, assim constituído:

Histologia e Embriologia - Ivon Rodrigues Vieira

Anatomia - J. Octaviano Neves e Mello Alvarenga

Iniciaçao da Filosofia e Cultura Religiosa - Cônego Trajano Barroso

Física Biológica - Osvaldo Coelho

Fisiologia - Adyr Rocha

Farmacologia - Juvenal de Melo Senra

Fisiologia Nervosa - Halley Alves Bessa

Patologia Geral - Juscelino K. Oliveira

Microbiologia - J Alvim Silva

Parasitologia - José Pellegrino

Clínica Propedêutica Médica - Regozino Macedo

Dermatologia e Sifilografia - Oswaldo Gonçalves Costa

Clínica Propedêutica Cirúrgica - Hermínio Ferreira Pinto

Técnica Operatória e Cirurgia experimental - Joao Baptista de Rezende Alves

Anatomia Patológica - Moacyr de Abreu Junqueira

Clínica Médica I - Braz Pellegrino

Clínica Cirúrgica I - Sálvio Nunes

Deontologia Médica - José Guerra Pinto Coelho

Clínica Otorrinolaringológica - Maurílio Soares Clínica Oftalmológica - Geraldo Queiroga

Clínica Médica II - Caio Benjamin Dias

Clínica Cirúrgica II - José Bolívar Drumond

Medicina Lega l - Josias Vaz de Oliveira

Terapêutica Clínica - Carlos Martins Teixeira

Tisiologia - Paulo de Souza Lima

Clínica Ginecológica - Lucas Monteiro Machado

Higiene - José Benedito dos Santos

Clínica Obstétrica - Argeu Murta

Clínica Pediátrica - Joao Costa Chiabi

Clínica Neurológica - Milton Gomes

Clínica Psiquiátrica - Austregésilo R. de Mendonça

Clínica de Doenças Infecciosas Tropicais - Mário Pires

Clínica Urológica - José Lucídio Avelar

Clínica Cirúrgica Infantil e Ortopedia - Brasílio Rui Prates

Esse corpo docente, ao lado dos pioneiros, foi considerado fundador. Incluíram-se como componentes do primeiro corpo docente os doutores Navantino Alves Filho, Orlando Cabral Mota e Padre Willian Silva. Sao considerados também fundadores: Dom Antônio dos Santos Cabral e Dr.José Maria de Alkmim, provedor da Santa Casa. O primeiro a cumprir a missao do MEC de inspecionar a escola para funcionamento foi o Prof. Alysson de Abreu (Prof. de Cirurgia da Universidade de Minas Gerais).

Nao assumiram suas disciplinas os professores Juscelino Kubistchek, substituído por Moacyr Junqueira; Carlos Martins Teixeira, substituído por Orlando Cabral Mota; Paulo de Souza Lima, substituído por Mário Pires; Josias Vaz de Oliveira, substituído por Halley Alves Bessa; e José Benedito dos Santos, substituído por Josias Vaz.

Nao fundadores, mas incluídos como primeiros professores contratados, foram os doutores Joao José Kigma em 1953; Francisco José Neves em 1954; Arlindo Polizzi em 1955; Mário Dias Corrêa em 1957; Cristiano Gonçalves Rocha em 1959 e José de Laurentys Medeiros em 1959. Estes dados foram colhidos das fichas comprobatórias do Departamento de Pessoal da Faculdade. No grupo citado, encontram-se vivos os fundadores Caio Benjamim Dias (Figura 2) e Milton Gomes (Figura 3). Eméritos Arlindo Polizzi e Joao Kigma. Falecidos os demais fundadores Cristiano Rocha e Francisco José Neves. Continuam em atividade Mário Dias Corrêa e José de Laurentys Medeiros. O primeiro professor contratado fora do estado foi Liberato Joao Afonso Didio - Sao Paulo, que instalou a Cadeira de Anatomia Topográfica.

 


Figura 2 - Prof. Caio Benjamin Dias

 

 


Figura 3 - Prof. Milton Gomes

 

Atuaram, ainda, como regentes de cadeira: Tancredo Alves Furtado, Hugo Silviano Brandao, Achiles Cruz Filho, Braz Filizzola Filho, Evilázio P. Ferreira, Marcílio Soares, Adelmar Cadar, Alberto Caran, Aldemir Drumond, Antônio Carlos Liparini, Clóvis Faria Alvim, Eduardo Osório Cisalpino, Gastao Pacheco, José Noronha Perez, Marcos Vinícius Aguilar Coutinho, Paulo Saraiva, Paulo Pinto Coelho de Vasconcelos, Porgirá Fernandes Peixoto Pena, Rosival Lírio de Araújo, Silvio Magalhaes Veloso e Washington Luiz Tafuri, que defendeu a primeira Tese de Doutorado da Faculdade.

Foram diretores:

Lucas Monteiro Machado, 1951 a 1970.

Mário Pires - 1970 a 1973.

José Elias Murad - 1973 a 1987

José Rafael Guerra Pinto Coelho - 1987 a 1995.

Adilson Savi - 1995 a 1999; Geraldo Magela Gomes da Cruz.

Também exerceram a presidência quando vice-diretores: Geraldo Magela Gomes da Cruz - 1999 a 2003 e Ludércio Rocha de Oliveira - 2003 o atual.

O secretário-geral desde a fundaçao - 1951 até 1974 - foi Afonso Silviano Brandao. Viga mestra na história da Faculdade,organizou sua secretaria e por um quarto de século exerceu as funçoes com muita dedicaçao e desprendimento. Foi o braço-direito de Lucas Machado. Suas atas eram perfeitas e lhe coube escrever o relato da primeira reuniao da congregaçao e muitas outras de importância na vida da entidade. Ao aposentar-se, recebeu carinhosa homenagem do corpo docente e discente e o Ambulatório Central da Escola tem o seu nome.

A primeira secretária foi Vera Silviano Brandao, posteriormente aluna da Faculdade, diplomando-se na segunda turma de 1957. A secretária seguinte foi Marília Viotti, com mais de 25 anos de trabalho, admirada por todos. Entre os primeiros funcionários, encontra-se em atividade, até o dia de hoje, o Sr. Luiz Alvarenga, atuando no Laboratório de Farmacologia.

A primeira sede da Faculdade foi na Avenida Francisco Sales, nº. 1219, em frente ao Hospital Sao Lucas, no antigo Hospital de Crianças Elvira Gomes Nogueira (Figura 4). A Santa Casa estava em construçao e o Prof. Navantino Alves, Chefe do Hospital, realizou a permuta com a Faculdade, transferindo para o 3º andar do prédio novo a primeira enfermaria da nova instalaçao. No local, encontram-se hoje os jardins e o monumento histórico, eternizando a fundaçao e os fundadores. Lá funcionou até o ano de 1964, sendo transferida a sede para a Alameda Ezequiel Dias (Figuras 5 e 6), em terreno doado pelo Prof. JK, nomeado para a 1a Congregaçao, cuja lei foi sancionada pelo entao governador em exercício Prof. Clovis Salgado, em 05 de setembro de 1955.

 


Figura 4 - Primeiro prédio da FCMMG 1

 

 


Figura 5 - Construçao do novo prédio da FCMMG 1

 

 


Figura 6 - Construçao do novo prédio da FCMMG 2

 

Em janeiro de 1951, foi autorizada a licença para funcionamento de curso médico pelo Presidente da República. O primeiro vestibular foi realizado em fevereiro de 1951 e em março do mesmo ano instalou-se oficialmente a congregaçao e constituiu-se o CTA. A aula inaugural foi em março de 1951 e em junho aprovou-se o Estatuto do Diretório Acadêmico Lucas Machado, sendo o primeiro presidente Dr. Gladyston Gomes Brandao. Em 1955, o governador do estado, JK, enviou à Assembléia o documento de doaçao do terreno na Alameda Ezequiel Dias, onde se encontra a sede atual, conforme lei sancionada em 05 de setembro de 1955 pelo entao governador em exercício, Clóvis Salgado Gama.

Em 1956, foi aprovada a planta para construçao do novo prédio e início das obras; e em 1958 lavrou-se decreto agregando a FCMMG à Universidade Católica de Minas Gerais, Em 1959, foi fundada a Sociedade Mineira de Ensino Médico como sua mantenedora, por determinaçao legal. Em seguida, passou a ser denominada Sociedade de Ensino Médico e logo depois Fundaçao Universitária Mineira e, finalmente, em homenagem ao fundador, FELUMA (Fundaçao Educacional Lucas Machado).

Em dezembro de 1956, foi diplomada a primeira turma de médicos (Figura 7), em número de 20, sendo paraninfo o Prof. Lucas e orador Dr. José Viera de Mendonça. A primeira aluna a colar grau foi a Dra. Alba Esper Pimenta (Figura 8), hoje Alba Pimenta Sizenando. Colaram grau de médicos os doutores: Alba Esper Pimenta, Deusdedit Pinto Ribeiro de Campos, Edson Alvares, Edwald Merlin Keppke, Fernando José Rodrigues de Miranda, Gladyston Gomes Brandao, Guy Freire Jannotti, Hélcio Antônio Tavares, Helvécio Boaventura Leite, Joao de Deus Pimenta, Joao dos Santos Filho, José Alencar Drummond Filho, José de Castro Abreu, José Expedito Jannotti, José Pinelli, José Vieira de Mendonça Filho, Manoel Braga Montenegro, Marx Golgher, Pio Borges do Espírito Santo e Ruy de Lima.

 


Figura 7 - Primeira turma de Medicina da FCMMG (1956)

 

 


Figura 8 - Alba Esper Pimenta

 

Proposto o nome de Edifício Lucas Machado ao novo prédio, o Dr. Lucas declinou da homenagem, dando-se a denominaçao de Casa de Lucas Machado. Instituiu-se, entao, 11 de novembro como dia da Faculdade de Ciências Médicas (aniversário do fundador, Dr. Lucas Machado).

Em 1961, firmou-se convênio com a Fundaçao Arapiara para criaçao dos cursos de Fisioterapia e Terapia Ocupacional e, em 1969, registrou-se transferência desses cursos para a Faculdade de Ciências Médicas.

Em 1969, a Faculdade de Ciências Médicas desligou-se da Universidade Católica. Travaram-se, entao, memoráveis discussoes tentando soluçoes como inclusao da Faculdade à Universidade de Ouro Preto e Universidade Federal de Minas Gerais. Todas as medidas foram frustradas, em vista de encargos financeiros, tornando-se a Faculdade de Ciências Médicas uma escola isolada.

Em 1965, instala-se a Residência Médica e o Internato Rural.

Durante toda a sua existência como escola isolada, a Faculdade lutou com problemas financeiros, entretanto, graças ao entusiasmo e idealismo de suas diretorias, os empecilhos têm sido superados e a escola mantém nível de ensino elevado. O primeiro ex-aluno a dirigir a Faculdade foi Dr. Geraldo Magela Gomes da Cruz, sucedido pelo atual Dr. Ludércio Rocha de Oliveira, também ex-aluno. Nesse meio século formou 3.720 médicos, 1.294 fisioterapeutas e 351 terapeutas ocupacionais. Profissionais que elevam os índices da escola em atendimento a pacientes, publicaçoes científicas e cargos administrativos em órgaos públicos e até mesmo em Faculdades de Medicina ali tiveram seu berço e formaçao.

Atualmente, encontram-se em vias de instalaçao diversos novos cursos, com visao cada vez mais voltada para a pós-graduaçao, coordenados pelo C.P.G.

Esperamos que os sonhos de Lucas e seus companheiros sejam coloridos cada vez mais por vitórias e nao por ilusoes.

Constituem, ainda, organismos da Faculdade a Associaçao Atlética Lucas Machado, o CAFITO (órgao estudantil dos alunos da Fisioterapia e Terapia Ocupacional) e o órgao mantenedor é a FELUMA (Fundaçao Educacional Lucas Machado), composta de membros eleitos e dois indicados pela comunidade. Possui estatuto próprio e o atual presidente do conselho é o Dr. Wagner Eduardo Ferreira.

A Santa Casa de Belo Horizonte sempre foi o Hospital Escola da Faculdade de Ciências Médicas, assumindo este papel nos últimos anos também o Hospital Sao José.

 

REFERENCIAS

1. Brandao AS. Contribuiçao à história da Faculdade de Ciências Médicas. Belo Horizonte: Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais; 1976.

2. Cruz GMG, Brandao AS, Medeiros JL. Faculdade de Ciências Médicas 50 anos de História. Rio de Janeiro: Revinter; 2001.